Paraná

Profissionais de UTIs relatam o que freou o avanço do coronavírus no Paraná

“Em contraste com vários estados brasileiros, cujas estruturas de atendimento à saúde estão esgotadas e no limite do caos por causa da pandemia do coronavírus, o Paraná vive uma situação de relativa tranqüilidade na administração do avanço da Covid-19.

No Hospital do Trabalhador, escolhido pelo governo estadual como unidade de referência para atendimento de casos da doença, a taxa de ocupação dos leitos de UTI ainda não ultrapassou 40%. Nesta semana, a própria secretária da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, declarou que “graças a Deus deu errado” a previsão de explosão de casos da Covid-19 na capital.

Depoimentos de três profissionais de saúde das UTIs do Complexo Hospitalar do Trabalhador. A médica Mirella Oliveira, chefe da UTI, e as enfermeiras Justina Cetnarski Maiczak e Lúcia Helena, diretora e coordenadora da enfermagem, respectivamente, destacam que o isolamento social, aliado ao planejamento e à organização para a chegada da pandemia, foram responsáveis pelos números favoráveis, até agora. A substância cloroquina não vem sendo utilizada. Elas relatam, em primeira mão, como é a luta diária contra um vírus “inteligente” que, antes mesmos de apresentar sintomas, causa muitos danos aos pulmões de alguns pacientes.”

Ouça o podcast em: https://www.gazetadopovo.com.br