Região

Manoel Ribas e Lunardelli têm reconhecido estado de calamidade pública

A Assembleia Legislativa do Paraná, em sessão remota, aprovou o reconhecimento do decreto de calamidade pública de mais 59 municípios do Paraná. Na região, foram reconhecidas as cidades de Manoel Ribas, Lunardelli, Barbosa Ferraz, Borrazópolis, Godoy Moreira, Jardim Alegre, Mauá da Serra, Palmital, Rio Branco do Ivaí, Santa Maria do Oeste e Arapuã. Com essa medida, os municípios terão mais liberdade para adotar medidas administrativas, em razão do avanço da Covid-19.

A proposta foi aprovada em primeiro turno durante a sessão ordinária e, em segundo turno, em uma sessão extraordinária. Como foi dispensada da votação em redação final, segue para a sanção do Poder Executivo.

Com esses novos municípios, já são 172 cidades paranaenses com o reconhecimento exigido pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

O reconhecimento do estado de calamidade pública de um município pela Assembleia Legislativa cumpre o que prevê a Lei Complementar Federal nº 101, de 04 de maio de 2000, conhecida como Lei de Responsabilidade Fiscal. De acordo com os incisos I e II do artigo 65, ficam suspensas as restrições decorrentes de eventual descumprimento aos limites de despesa com pessoal e de dívida consolidada. Da mesma forma, é dispensando o cumprimento de resultados fiscais e a limitação de empenho.

De acordo com o inciso IV do artigo 2º do Decreto federal nº 7.257, de 4 de agosto de 2010, o estado de calamidade pública se caracteriza por “situação anormal, provocada por desastres, causando danos e prejuízos que impliquem o comprometimento substancial da capacidade de resposta do poder público do ente atingido”. Ou seja, a ocorrência de situação fora do comum, que exija respostas imediatas do poder público e que comprometem a previsão orçamentária.

Para que um município tenha reconhecido o decreto de calamidade pública, é preciso fazer a solicitação formal ao Poder Legislativo, com justificativa, e comprovar a publicação em Diário Oficial do decreto municipal. A Assembleia Legislativa do Paraná tem orientado prefeitos e suas equipes, que receberam um manual com informações sobre todos os procedimentos necessários.

Fonte: Paraná Centro