Pitanga: Após campanha na internet, família consegue doador de medula

Davi Eurich tem sete meses e precisa do transplante para sobreviver.

É uma grande batalha vencida’, comemora o pai; família é do Paraná.

Davi Eurich, um bebê de sete meses diagnosticado com leucemia e que precisa de um transplante de medula para sobreviver, já conseguiu um doador compatível.A família, que mora em Pitanga, na região central do Paraná, chegou a criar uma campanha na internet para aumentar o número de doadores e comemora a notícia. Até a manhã desta segunda-feira (7), 14 mil pessoas tinham curtido a página.

Nós estamos aqui, no Hospital Nossa Senhora das Graças, há quase 120 dias. Quando a gente recebe a notícia, tira um fardo das costas, né? É uma grande batalha vencida”, diz o pai Renilson Eurich.

O número de voluntários cadastrados para doar medula óssea em todo o Paraná, hoje, é de mais de 700 mil. O cadastro pode ser feito em qualquer banco de sangue. Somente na rede do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar) são 22 postos.

Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea foi criado em 1993, passando a funcionar no Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva – INCA, a partir 1998.

Para efetuar o cadastro, o candidato deverá apresentar um documento oficial de identidade com foto. O voluntário não pode ser usuário de drogas e não ter tido nenhum tipo de câncer ou doença hematológica, mesmo que já estejam curados.

No momento do cadastro serão coletados de 5 ml a 10 ml de sangue. Não é necessário estar em jejum, porém, é preciso evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a coleta.Se for verificada compatibilidade com algum paciente cadastrado o doador é, então, convocado para fazer testes confirmatórios e realizar o procedimento.

“Nós estamos muito agradecidos pelo empenho das pessoas, pela dedicação das pessoas a se tornarem doadores. A gente só tem a agradecer todo mundo que se mobilizou e se movimentou para ajudar as pessoas”, acrescentou Renilson.

G1 Paraná

Veja também: